Dicas para melhorar sua escrita

Você tem dificuldades em escrever redações ou textos profissionais?

Muitos profissionais tem dúvidas na hora de escrever, seja na em um ambiente corporativo, onde se tem a necessidade de escrever longos e informativos e-mails, até mesmo nas tarefas mais simples como estudante.

Se sim, neste artigo vamos te dar algumas dicas para que você possa ter melhoras significativas em sua escrita. Caso você queira aprender um pouco mais o idioma e queira fazer redações profissionalmente, nós aconselhamos o curso Português Prático do Luiz Felipe.

Dicas para melhorar sua escrita

Dicas para melhorar a escrita

Escolha um bom livro para leitura

Pode ser qualquer um, a partir de que ele esteja sempre à mão e pronta leitura.

O ideal é que você tenha o hábito da leitura, ao menos, alguns minutos por dia. Portanto, pegue um livro de sua preferência e, ao menos, passeie por suas páginas. Parece simples, porém ler todos os dias, apesar de que poucas páginas, pode aumentar a quantidade de vocabulário e também ajudar a ter uma perspectiva maior sobre o nosso idioma

Escreva sempre que possível

Crie vagas para exercitar a hábito, mesmo que seja a partir de e-mails, pequenos lembretes de geladeira, recados etc.

Evidente que a comunicação oral é fundamental, porém sempre que houver a chance, pegue um papel (ou em algum dispositivo eletrônico) e treine a hábito.

Você vai observar que há inúmeras situações em nosso rotina que permitem este treino.

Dê preferência para a hábito à mão, uma vez que já foi comprovado cientificamente que a escrita à mão treina mais as redes neuronais do cérebro, favorece o ensino profissionalizante de novos idiomas, entre outros vantagens.

Tenha também um bloco para anotar as palavras novas que você aprender. Use a técnica de escrever à mão para ter mais chances de memoriza-las.

Não use palavras muito sofisticadas

Esse é um engano que muitos cometem: escrever sem se perguntar se o leitor irá entender.

Os textos escritos não dispõem dos mesmos recursos dos textos orais (entonação, pausas etc.), recursos estes que facilitam a percepção de sua mensagem.

Dessa forma, todo atenção é pouca e, antes de mandar um e-mail, por exemplo, faça o treino simples de revisá-lo: isso pode ser capaz de eliminar dualidades e equívocos ortográficos e sintáticos que frequentemente comprometem a acessibilidade formal.

Tenha em mente constantemente: é melhor uma mensagem simples ser entendida do que uma mensagem complexa e ninguém entende-la.

Estude sempre que puder

Enquanto escrevemos, é comum que surjam algumas dúvidas, e se você pretende mesmo exercitar a inscrever melhor, é relevante que vá atrás das respostas, seja consultando um dicionário de palavras, seja buscando na internet – o que não vale é realizar de conta que está tudo bem e declarar o perigo de perder.

Deixe a preguiça de lado e investigue, questione, não permita que uma incerteza linguística fique sem resposta, bastante pouco que um engano transforme-se em comportamento. Isso é vital para que você possa sempre ter acesso a novos conhecimentos e fazer com que você erre cada vez menos.

Evite utilizar o revisor ortográfico

Talvez, seja uma dúvida bem polêmica.

Algumas pessoas não conseguem mais escrever sem utilizar este recurso, e essa dependência pode ser prejudicial. Nós sabemos que o revisor é bastante benéfico, porém será que você fiscaliza as dicas sugeridas por ele ou somente aceita sua revisão?

Outra coisa: quantas vezes o revisor ortográfico já nos induziu ao engano? Você já percebeu que nem sempre ele apresenta sugestões adequadas para o seu artigo?

Isto ocorre visto que essa é uma ferramenta que nem sempre é capaz de compreender nossas ideias e jeito de escrita, e o que deveria auxiliar pode transformar-se em um verdadeiro erro.

Faça o teste, experimente, em vez de ensinar o revisor, habilite-se a aconselhar-se um dicionário ou um bom livro de gramática portuguesa. Com o tempo, você perceberá que pode exercitar bastante mais dessa maneira.